banner technobytes.jpeg
OTa2.jpg
LOGO MEGA.jpg
Banner Aveloz
IMG-20220720-WA0032.jpg
  • Mikael Sampaio

Campanha para atualização de caderneta encerra amanhã


Termina nesta terça-feira (30/11) a Campanha de Multivacinação para Atualização da Caderneta de Vacinação de crianças e adolescentes menores de 15 anos. A estratégia, criada pelo Ministério da Saúde, é para ampliação das coberturas vacinais para prevenção contra o aparecimento de novos casos de algumas doenças imunopreveníveis como poliomielite, hepatites A e B, tríplice viral, rotavírus humano e dTp, entre outras. No Estado de Pernambuco, as coberturas vacinais permanecem abaixo da meta mínima estimada, entre 80 a 95%.

“É muito importante a população ter em mente que os imunizantes disponíveis nessa campanha nacional já fazem parte do esquema básico desses públicos, sendo assim, as vacinas para doenças como poliomielite, tríplice viral, meningocócia e pneumicócica, dtp, entre outras, estão disponíveis nas salas de vacinação durante todo o ano. Então, se você tem filho ou filha ou é responsável por uma criança ou adolescente menor de 15 anos, é importante buscar as mais de 2,4 mil salas de vacinação do Estado, munidos da caderneta de vacinação, para que o profissional analise e veja se esse indivíduo precisa de alguma dose de vacina”, reforça a superintendente de Imunizações do Estado, Ana Catarina de Melo.

COBERTURAS - Atualmente no Estado, a cobertura vacinal para os imunizantes direcionados para o público menor de 1 ano de idade está estabelecida desta maneira: BCG (73,59%), pneumocócica (68,71%), pentavalente (66,91%), poliomielite (66,67%), meningocócica (65,47%) e rotavírus humano (65,10%).

Para os maiores de 1 ano de idade, a situação segue o mesmo perfil: hepatite A (62,94%), tríplice viral – D1 e D2 (72,26% e 44,07%), meningococo C (66,37%), pneumocócica (66,15%), poliomielite – 1º reforço (52,04%) e 2ª reforço (40,13%), dTp – 1º reforço (57,61%) e 2ª reforço (47,28%) e varicela (63,91%).

“A vacinação é um importante instrumento de proteção contra diversas doenças. Durante a pandemia provocada pela Covid-19, muitas pessoas deixaram de buscar os serviços de saúde para imunização, proporcionando assim a criação de bolsões de pessoas não vacinadas contra essas doenças consideradas imunopreviníveis. Enquanto sociedade, precisamos estar vigilantes e promover a proteção individual e coletiva e ajudar a impedir a circulação dessas doenças na nossa população infanto-juvenil”, destaca o secretário estadual de Saúde, André Longo.

PÚBLICOS - Para as crianças abaixo de 7 anos, as unidades disponibilizam os seguintes imunizantes: BCG, hepatite B, pentavalente, poliomielite, rotavírus, pneumocócica 10, meningocócica C, febre amarela, tríplice viral, varicela, hepatite A e DTP. A partir dos 7 anos, até os menores de 15, podem ser feitas as doses da hepatite B, febre amarela, meningocócica ACWY, HPV e varicela.

Adolescentes que já tomaram a vacina da Covid-19 podem receber vacinas contra as outras doenças de maneira simultânea ou em qualquer intervalo entre as doses de imunobiológicos diferentes. A autorização sobre a co-administração de vacinas da Covid-19 e demais vacinas do calendário vacinal foi concedida pelo Ministério da Saúde no último mês de outubro.

0 comentário