Capture+_2020-02-03-18-40-35.png
banner.jpg
IMG-20191110-WA0069_edited.jpg
  • Facebook
  • Instagram
  • Mikael Sampaio

Um mapa das alianças do MDB nos estados



É inacreditável a proliferação de versões sobre a resistência no MDB à candidatura à reeleição do presidente Michel Temer, comparada com a omissão sobre o tamanho da rejeição à candidatura de Geraldo Alckmin (PSDB). Para tentar iluminar esta questão, faremos uma descrição do posicionamento regional do MDB. As informações revelam que uma aliança com o claudicante Alckmin é mais difícil do que apoiar uma despretensiosa candidatura própria à Presidência da República. Após a leitura desta exposição será possível chegar a conclusão que muitas destas projeções são como sonhos de uma noite de verão. Não é fácil conquistar o apoio do MDB numa eleição presidencial.

O partido já teve candidatos próprios (Ulysses Guimarães/1989 e Orestes Quércia/1994), já apoiou candidatos de outros partidos (José Serra/PSDB, em 2002; e, Dilma Rousseff/PT, em 2010 e 2014), mas também não conseguiu maioria para apoiar um candidato como em 1998 (Fernando Henrique Cardoso/PSDB x Lula/PT) e 2006 (Lula/PT x Geraldo Alckmin/PSDB).


Rio Grande do Sul

O MDB gaúcho é um tradicional aliado do PSDB. Os tucanos se fortaleceram com a eleição de Nelson Marchezan Junior para a prefeitura de Porto Alegre. Mas os emedebistas querem que Marchezan apoie a reeleição do governador José Ivo Sartori.

Santa Catarina

O MDB terá o PSDB como seu principal adversário para o governo. O governo Eduardo Moreira (MDB) pode concorrer a reeleição ou o deputado Mauro Mariani pode ser o candidato. O senador tucano Paulo Bauer lidera quando o deputado e ex-governador Espiridião Amin (PP) não está na lista de candidatos.

Paraná

O principal líder do MDB, o senador e ex-governador Roberto Requião, fez oposição ao ex-governador Beto Richa (PSDB), que renunciou ao mandato para concorrer ao Senado. Requião é um contundente crítico da política econômica dos tucanos. Requião é aliado do ex-presidente Lula.


São Paulo

O candidato a presidente e ex-governador Geraldo Alckmin quer que o presidente Michel Temer suma da face da terra, assim como quer o mesmo do senador e ex-governador Aécio Neves (PSDB), em Minas Gerais. Os dois principais candidatos a governador, segundo as pesquisas, são João Dória (PSDB) e Paulo Skaf (MDB).

Minas Gerais

A maioria do MDB local queria manter a coligação com o PT e apoia a candidatura à reeleição do governador Fernando Pimentel (PT). O presidente da Assembleia, Adalclever Lopes, deveria ser o vice-governador da chapa. Tudo se complicou com a possibilidade da ex-presidente Dilma Rousseff ser candidata ao Senado. O MDB deu aval ao início de um processo de impeachment contra o governador. O PSDB lançou o senador e ex-governador Antonio Anastasia para disputar o governo.

Rio de Janeiro

O MDB está destruído e o PSDB local não existe. A correlação de forças virou uma incógnita. O principal dirigente do MDB, ministro Moreira Franco, que tem simpatia pelo PSDB, está defendendo que o partido tenha candidato próprio.

Espírito Santo

Candidato à reeleição e ex-tucano, o governador Paulo Hartung é contra a candidatura própria do MDB. Mas Hartung é pragmático, tanto que já pulou do PMDB para o PSDB e depois pulou, novamente, para o seu antigo ninho. Se Alckmin decolar? Pode ser?


Bahia

O MDB local afundou. Os tucanos baianos não querem ver seus nomes associados ao do ex-ministro Geddel Vieira Lima. O prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), também deixou Alckmin sem palanque ao desistir de concorrer ao governo estadual.

Alagoas

O PSDB vai apoiar a oposição ao governador Renan Filho (MDB). O ex-presidente tucano Teotonio Vilela concorre ao Senado e é um dos adversários do ex-presidente do Senado Renan Calheiros. O emedebista é aliado do ex-presidente Lula.

Sergipe

O MDB apoia a reeleição do vice-governador Belivaldo Chagas (PP). Seu adversário é o senador Eduardo Amorim (PSDB). O PT apoia a chapa emedebista. O ex-governador Jackson Barreto foi eleito com o apoio do PT. Ele é aliado do ex-presidente Lula.

Pernambuco

O MDB é adversário do PT. O partido vai lançar um candidato, o senador Fernando Bezerra Coelho, contra o governador Paulo Câmara (PSB), que terá o apoio dos petistas para tentar a reeleição. O PSDB é aliado do MDB na eleição para o governo estadual.

Paraíba

O MDB, do senador José Maranhão, e o PSDB, do senador Cássio Cunha Lima, negociam uma aliança para disputar o governo. O partido, que apresentou a candidatura de Maranhão, será adversário do PT, que deve se alinhar com o candidato do ex-governador Ricardo Coutinho (PSB).

Rio Grande do Norte

O MDB, presidido pelo senador e ex-governador Garibaldi Alves, deve apoiar a candidatura ao governo do ex-prefeito de Natal Carlos Eduardo Alves. Ele é do PDT de Ciro Gomes. Mas o MDB pode vir a se aliar na eleição nacional com o PSDB. Seu principal adversário regional é o PT. A deputada petista Fátima Bezerra lidera as pesquisas.


Ceará

Foi formada uma grande aliança no estado que inclui o governador Camilo Santana (PT), o presidente do Senado e candidato à reeleição, Eunício Oliveira (MDB) e Cid Gomes, candidato para a outra para o Senado. O senador Tasso Jereissati (PSDB) se recusou a concorrer ao governo estadual.

Piauí

O governador Wellington Dias (PT) já conta com o apoio do MDB. Esta em negociação a ocupação da vice pelo deputado Marcelo Castro (MDB). O presidente nacional do PP, senador Ciro Nogueira, é um dos candidatos da chapa à reeleição para o Senado. E tem mais, Wellington está costurando o acordo com o prefeito de Teresina, Firmino Filho (PSDB). Eles estão formando uma chapinha de partidos nanicos, aliados a ambos, para eleger deputados ligados a eles.

Maranhão

O governador Flávio Dino (PCdoB), segundo recentes pesquisas, é favorito à reeleição. Sua adversária, Roseana Sarney (MDB), negocia uma aliança tanto com o PT quanto com o PSDB. Independente disso, tanto Roseana quanto seu irmão, o deputado Sarney Filho (PV), que é candidato ao Senado, e seu pai, o ex-presidente José Sarney são aliados do ex-presidente Lula.

Pará

O MDB quer tirar o PSDB do governo estadual. O ex-ministro e deputado Helder Barbalho, que perdeu para o tucano Simão Jatene em 2014, é o favorito contra o senador Paulo Rocha (PT) e o deputado Márcio Miranda (PSDB). A tendência é de que o PT retire sua candidatura e apoie Barbalho.


Amazonas

O senador Eduardo Braga (MDB) está se aproximando do governador Amazonino Mendes (PDT). As pesquisas são lideradas pelo jornalista Wilson Lima, do PSC. O PSDB tenta articular a candidatura do vice-prefeito de Manaus, Marcos Rotta.

Amapá

O MDB deve apoiar a candidatura à reeleição do governador Waldez de Góes (PDT). O PSDB não se posicionou, mas está muito enfraquecido no estado.

Roraima

O MDB e o PSDB vão concorrer com candidatos próprios ao governo. A ex-prefeita de Macapá Teresa Surita será a candidata dos emedebistas. O ex-governador José Anchieta será o candidato dos tucanos.

Acre

O MDB é adversário do PT no estado. O partido vai apoiar, juntamente com o PSDB, a candidatura do senador Gladson Cameli (PP) ao governo estadual. O candidato do PT será o ex-prefeito de Rio Branco, Marcus Alexandre, que renunciou para concorrer a governador.

Rondônia

O MDB, que governa o estado, vai concorrer ao governo com o atual presidente da Assembleia, Maurão de Carvalho. O PSDB vai apoiar a candidatura do senador Ivo Cassol (PP).

Tocantins

O MDB e o PSDB estão juntos. Ambos vão apoiar a candidatura ao governo do senador Vicentinho Alves, que é do PR.

Mato Grosso

O MDB faz oposição ao governador Pedro Taques, eleito pelo PDT mas filiado ao PSDB. Os emedebistas ainda não definiram quem apoiar.

Mato Grosso do Sul

PSDB e MDB disputam a eleição para governador. O ex-governador André Puccinelli (MDB) quer impedir a reeleição do governador Reinaldo Azambuja (PSDB). Os dois estão tecnicamente empatados em segundo lugar nas pesquisas. Elas são lideradas por Odilon de Oliveira, um juiz federal aposentado filiado ao PDT.


Goiás

Emedebistas e tucanos são adversários no estado. O MDB vai concorrer com o deputado Daniel Vilela e seu objetivo é retomar o governo estadual que está nas mãos do PSDB. O vice-governador José Eliton, que está no cargo desde que Marconi Perillo renunciou para concorrer ao Senado, é o candidato do PSDB. O PT pode apoiar Vilela, mas para isso faz um esforço para o MDB apoiar o candidato de Lula para presidente.

Brasília

O MDB e o PSDB são muito frágeis na capital do país. O MDB negocia a indicação do vice de Jofran Frejat, do PR, principal candidato de oposição ao governador Rodrigo Rollemberg (PSB). Já o PSDB deve lançar o deputado Izalci Lucas.


0 visualização