Capture+_2020-02-03-18-40-35.png
banner.jpg
IMG-20191110-WA0069_edited.jpg
  • Facebook
  • Instagram
  • Mikael Sampaio

Pesquisa do PSB vai lastrear apoio a candidatos



Apesar de a maioria defender o apoio ao ex-governador do Ceará, Ciro Gomes (PDT), pré-candidato à Presidência, o PSB contratou pesquisa de opinião quantitativa e qualitativa nacional e por estados para lastrear a decisão de apoio na corrida presidencial de outubro. O questionário já está sendo elaborado e deve passar pelo crivo da Executiva nacional nesta semana. Já o resultado deve sair no máximo até a terceira semana de julho. Nem mesmo a pressão do pedetista por uma resposta socialista em troca da vice na chapa presidencial deve mudar o prazo do partido, que tem até o final de julho para decidir o rumo. O nome do partido para o posto é o do ex-prefeito de Belo Horizonte, Marcio Lacerda (PSB), que tenta valorizar o passe se colocando como pré-candidato ao Governo de Minas Gerais. Ele também havia sido cogitado na vice da chapa petista. Um socialista, em reserva, disse que o partido não deve mudar seu prazo para atender a Ciro Gomes. Apesar dele ser o preferido da maioria dos socialistas, o presidenciável do PDT ainda sofre resistência de algumas alas que preferem aliança com o PT, por exemplo. Outra opção discutida internamente é a liberação dos diretórios estaduais. Essa postura de neutralidade não agrada aos socialistas mais ideológicos, porém ajudaria os governadores nas costuras regionais visando à aliança com o partido do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Embora alguns socialistas defendam que o prazo de 15 dias seja o ideal - visto que a maioria já externou a preferência -, outros avaliam que a legenda precisa esgotar o debate interno. Neste período, a executiva nacional do PSB deve se reunir para debater cenários e alianças. Após o encontro da última quarta, entre os governadores do partido em Brasília, Paulo Câmara afirmou que o partido decidirá até o final de julho. Ele, inclusive, é um dos que preferem que as conversas se estendam até o limite do prazo legal. As convenções partidárias podem ser realizadas a partir de 20 de julho a 5 de agosto. Contudo, a decisão acerca do rumo do partido na corrida eleitoral deve ser conhecida antes da realização da convenção, que deve ser apenas cartorial. O partido ainda não fechou a data.


1 visualização