Capture+_2020-02-03-18-40-35.png
banner.jpg
IMG-20191110-WA0069_edited.jpg
  • Facebook
  • Instagram
  • Mikael Sampaio

Nome de Coelho gera incômodo no PPS



A possível ida do deputado federal Daniel Coelho (PSDB) para o PPS começa a dar sinais de embaraço no partido. Isso porque comenta-se, nos bastidores, que caso se filie, o tucano poderia assumir o comando da sigla e leva-la para a oposição ao governador Paulo Câmara (PSB), na chapa do senador Armando Monteiro (PTB). As presidências estadual e municipal da sigla, por sua vez, defendem a manutenção da sigla na base do Governo do Estado e se queixam de que as negociações são feitas somente com o presidente nacional, Roberto Freire. O tucano deverá bater o martelo até a próxima sexta-feira, um dia antes do congresso em que será eleita a executiva estadual da sigla. No evento, que acontecerá no Jet Clube, no bairro de São José, também haverá eleição do diretório, dos conselhos fiscal e de ética e dos delegados que vão participar do congresso nacional, no fim de março. De acordo com presidente municipal do PPS, Felipe Ferreira Lima, até o momento a nacional não sinalizou, oficialmente, nenhum acordo para dar a Daniel o controle da sigla no Recife. "O partido está totalmente regulamentado, tem um estatuto e é o mais ativo no estado. Se houver esse acordo, é uma conversa unilateral. O partido está aberto para receber gente nova, mas esse tipo de negociação por cima é política velha travestida por alguém novo. Com o histórico que Daniel tem, acredito que ele teria dialogado com a gente", afirmou Felipe. Na mesma linha, o presidente estadual da legenda, Manoel Carlos, disse que não houve nenhum decisão relacionada à Daniel Coelho e que as regras partidárias dão à Executiva Nacional a prerrogativa de dar as rédeas quando o assunto é novos quadros e eleição. Ele questionou a falta de diálogo sobre o tema e ressaltou que pretende trabalhar para que o PPS permaneça na Frente Popular. "É boa a chegada dele, mas não está tendo diálogo. Fico sabendo as coisas pelas especulações da imprensa, o que é ruim porque estou a frente do partido em Pernambuco", contou o dirigente. Nesta semana, ele pretende conversar com Roberto Freire para esclarecer todos os rumores. Procurado, Daniel Coelho confirmou que decidirá seu caminho partidário nos próximos dias. Ele tem até 7 de abril para se filiar a outra agremiação sem prejuízo para o mandato. Sobre o ingresso no PPS, ele disse que há chances e que nunca negou essa possibilidade. Com relação aos questionamentos feitos pela legenda no campo local, Daniel afirmou que não pode tecer comentários sobre uma sigla da qual não está filiado no momento.


3 visualizações