IMG-20191213-WA0051.jpg
IMG-20191110-WA0069_edited.jpg
Capture+_2020-02-03-18-40-35.png
  • Facebook
  • Instagram
  • Mikael Sampaio

MPPE recomenda que Orocó intensifique ações contra o sarampo


Para conter o avanço dos casos de Sarampo em Pernambuco, o Ministério Público de Pernambuco (MPPE) recomenda que o município de Orocó intensifique a campanha contra a doença. De acordo com a Secretaria de Saúde de Pernambuco, o estado já tem mais de 23 casos confirmados e 731 notificações de sarampo. Além disso, uma morte foi confirmada no município de Taquaritinga do Norte.


A recomendação pede o urgente reforço, no prazo de 5 dias úteis, das equipes responsáveis pela vacinação nos postos de saúde de Orocó durante o período de campanhas contra o sarampo a serem realizadas no município, bem como que sejam ampliados os horários de atendimento ao público e que haja uma intensificação dessas campanhas por meio de uma ampla divulgação em meios de comunicação impressos, televisivos, radiofônicos, digitais, redes sociais, cartazes e folders em órgãos públicos municipais.


Além disso, para convocar e conscientizar a população do município sobre a importância da imunização o MPPE recomenda que seja implementada, em até 30 dias úteis, uma busca ativa nas regiões de difícil acesso do município. Além disso, creches, berçários, centros de educação e escolas da cidade precisam verificar a regularização da caderneta de vacinação dos seus alunos e, caso sejam encontradas, as irregularidades deverão ser informadas ao Conselho Tutelar. Aos Agentes Comunitários de Saúde também recomenda-se implementação de ações permanentes sobre o Sarampo, como a realização de palestras, cursos, seminários ou a divulgação domiciliar.


Para que metas de coberturas vacinais de imunização contra a doença sejam cumpridas, sugere-se também à gestão de Orocó uma ação em conjunto com a administração de outros municípios de Pernambuco e do governo estadual. Para evitar surtos, a Organização Mundial da Saúde recomenda uma cobertura global da dose da vacina em 95%. Caso ocorra a impossibilidade de cumprimento da cobertura, recomenda-se que o município elabore um relatório com as justificativas e que o documento seja remetido à Diretoria-Geral de Controle de Doenças e Agravos da Secretaria Estadual de Saúde de Pernambuco.


O município tem um prazo de 20 dias para informar se acata ou não a recomendação do MPPE, especificando, em caso de acatamento, as providências adotadas.

6 visualizações