Capture+_2020-02-03-18-40-35.png
banner.jpg
IMG-20191110-WA0069_edited.jpg
  • Facebook
  • Instagram
  • Mikael Sampaio

Marília se irrita e ameaça acabar entrevista por não gostar de pergunta em rádio de Serra Talhada


Em tom de irritação, a deputada do PT Marília Arraes, que recebeu pouco mais de 11 mil votos em Serra Talhada, não gostou de uma pergunta feita pelos locutores do programa Frequência Democrática, na rádio Vila Bela FM, durante entrevista nesta segunda-feira (16), por telefone.


Após o programa, ouvintes telefonaram e enviaram mensagens criticando o que tacharam de “postura deselegante” da parlamentar, que chegou ao ponto de ameaçar acabar com a entrevista após ser questionada sobre a possibilidade de candidatar-se à Prefeitura do Recife em 2020, pondo um fim no compromisso com os eleitores do Sertão.


“Deputada isso não seria estelionato eleitoral? Já que a senhora foi eleita para ficar 4 anos como deputada [federal] e for disputar a Prefeitura do Recife… Como é que vai ficar aqui [em Serra Talhada] quem votou na senhora?”, indagou o comunicador Giovanni Sá.


“Giovanni, olhe… Em primeiro lugar não vou ficar dando entrevista para ficar sendo agredida [por você]. Você está dizendo que estou cometendo estelionato eleitoral, estelionato eleitoral é mentir para o eleitor, é dizer que vai fazer e dizer que não vai fazer, é dizer que vai estar do lado do povo e depois em Brasília é votar contra… Eu sequer sei se vou ser candidata a Prefeitura do Recife. A gente está com a situação partidária complicada, numa situação instável… Existe esta discussão? Existe. E o povo que votou em mim em Serra Talhada sabia que eu era do Recife, sabia que eu era vereadora do Recife, sabia que a gente tinha uma militância no Recife”, disparou a petista, passando a limpo a sua posição perante o eleitorado sertanejo.


“Não vou admitir que se fale e que há estelionato eleitoral no meu trabalho, o povo de Pernambuco sabe e me respeita o suficiente para saber disso”, sentenciou. Antes de se irritar publicamente, Marília disse que “quem quiser criticar pode criticar, não tem problema nenhum.” E garantiu que, enquanto estiver como deputada federal, vai ter uma atenção especial com a capital do xaxado. Ela também rebateu críticas de que estaria distante da nossa cidade.


“Serra Talhada vai ter uma prioridade nas nossas emendas. O prefeito Luciano Duque me apoiou para federal. Fui a segunda mais votada em Pernambuco com votação no Estado inteiro e tendo Luciano e o prefeito João Bosco de Granito me apoiando. Não tive 70 prefeitos e ex-prefeitos me apoiando não. Eu tive dois. E esses dois vão receber uma atenção especial lógico. Porque a gente precisa ser amigo dos amigos e fortalecer o trabalho que estes prefeitos fazem em suas cidades e quero participar desse momento em Serra Talhada junto com meu mandato”, afirmou a deputada, reforçando:


“Eu trabalho dando o melhor possível tanto lá em Brasília como aqui no Estado. Temos uma relação muito próxima eu e o prefeito Luciano Duque, a primeira dama Karina, o povo de Serra Talhada sabe que eu não estive aí apenas duas vezes depois da eleição. Muito pelo contrário. Em 2018, após a eleição estive em Serra Talhada algumas vezes, depois estive em Serra Talhada várias vezes, então, não tem nenhum sentido esse tipo de crítica. Crítica a gente escuta quando é séria, mas quando é crítica negativa que não é verdade, aí realmente não cabe ficar respondendo e ficar rebatendo”.


Com informações do Farol de Noticias

132 visualizações