Capture+_2020-02-03-18-40-35.png
banner.jpg
IMG-20191110-WA0069_edited.jpg
  • Facebook
  • Instagram
  • Mikael Sampaio

Gleisi: PSB, PCdoB e PDT são aliados preferenciais para vice de Lula



A presidenta do PT, senadora Gleisi Hoffmann, afirmou nessa terça (16), em entrevista publicada no jornal Valor Econômico, que será redigida uma nova versão da “Carta aos Brasileiros” voltada para a população, buscando o diálogo.

“Vamos deixar claro: não é uma carta dirigida ao mercado como em 2002. É dirigida ao país, ao povo. Vamos falar de como faremos para que o Brasil se desenvolva e retome seu crescimento”, afirmou Hoffmann. “Não precisamos dirigir nada ao mercado. O mercado já conhece o presidente Lula e como ele governa”, acrescentou.

Gleisi adiantou que o programa de Lula terá como pilares a criação de emprego e renda, um impulso na disponibilidade de crédito e aumento no consumo interno.

“A economia não pode ser pensada só sob o olhar do mercado. Tem que incluir o povo”, explicou. “Emprego é um indicador importante da economia. Aumento de renda também. Aumento de crédito é muito importante, bem como aumento do consumo interno.”

Retomada de direitos

A presidenta do PT também foi enfática ao afirmar que será realizado um plebiscito para revogar todas as reformas aprovadas sob o governo de Michel Temer, como a PEC do teto de gastos e a Reforma Trabalhista.

“Todas as medidas que retiraram direitos serão derrubadas, se a população concordar. O presidente Lula se manifesta no sentido de chamar um plebiscito para revogar todas as medidas do governo Temer, como a PEC do teto de gastos e a reforma trabalhista”.

Ela destacou que “até o Henrique Meirelles [ministro da Fazenda] quer mudar a ‘regra de ouro'”, em referência às discussões no governo para alterar o dispositivo que evita que o governo aumente sua dívida para pagar despesas correntes.

Gleisi também apontou a possibilidade de reformas política e tributária, por meio de uma nova Constituinte. “A Constituinte é uma proposta que veio do Congresso do PT. O formato seria construído, mas temos claro que abordaria mudanças em toda a Constituição e a realização de reformas tributária e política”.

A presidenta do PT ainda aproveitou para criticar o processo injusto contra Lula, que será julgado em segunda instância no dia 24 de janeiro.

“A sentença de Moro tem muitos vícios e problemas jurídicos. Temos 122 juristas que assinaram um manifesto, do Brasil e de várias partes do mundo, contestando a decisão.”

Ela também disse que o partido está preparando uma autocrítica e, ao analisar os possíveis aliados para formar a chapa com o ex-presidente, senadora citou o PSB, PCdoB e PDT.


0 visualização