Capture+_2020-02-03-18-40-35.png
banner.jpg
IMG-20191110-WA0069_edited.jpg
  • Facebook
  • Instagram
  • Mikael Sampaio

Em tempo de apagar incêndio, Paulo Câmara chama Carreras


Paulo Câmara e Felipe Carreras Foto: Mandy Oliver/Arquivo Folha

O deputado federal Felipe Carreras embarca, hoje, para viagem de férias com três das quatro filhas. Segue para Argentina, onde sob a neve, o clima estará, naturalmente, mais frio do que aqui. Antes que Carreras pegasse o voo, no entanto, o governador Paulo Câmara acionou o “extintor de incêndio” e o convidou para um almoço no Palácio do Campos das Princesas. Foram à mesa ontem. O aceno do gestor estadual se dá em momento delicado no PSB. Segundo pessoas próximas ouvidas pela coluna, Carreras anda bem chateado com o tom adotado pelo presidente nacional do partido, Carlos Siqueira, em relação ao voto dado por ele a favor da Reforma da Previdência. Interlocutores dizem que o incômodo do parlamentar se dá a ponto de ele pensar em tudo, inclusive em deixar a sigla. Vai aguardar, no entanto, o julgamento do Conselho de Ética.


Paulo Câmara, vice-presidente nacional do PSB e de perfil ponderado, entrou no circuito, fez um gesto. Carreras não digeriu ainda as palavras ditas por Siqueira, segundo o qual o deputado "resolveu mudar de lado, esqueceu das origens dele, inclusive social, e aderiu à nova classe a qual ele pertence, dos ricos". Ainda sobre os elogios feitos por Daniel Coelho a Carreras em função do voto, Siqueira, à coluna, alfinetara: "Cada um tem a companhia que merece". Amigos dizem que Felipe anda "magoado", "machucado". Socialistas, por sua vez, detectam uma inquietação latente na sigla em relação à disputa majoritária de 2020 e estão cientes, como a coluna registrara, que o nome de Carreras, caso expulso, atenderia os anseios da oposição, ávida por um candidato que aglutine, que tire votos de campos distintos. Se não revidou as palavras de Siqueira, ontem, Carreras agradeceu, em seu Instagram, os gestos de solidariedade de colegas do PSB, realçando que está no partido há 23 anos, mas também dirigiu-se a nomes da oposição, a exemplo do presidente nacional do PSDB, Bruno Araújo, do deputado estadual Wanderson Florêncio, de Daniel Coelho, Silvio Costa Filho e Fernando Bezerra Coelho, entre outros. Oposicionistas se apressaram em abrir as portas para Felipe às vésperas de 2020, quando o PSB aposta as fichas em João Campos. De malas prontas para Argentina, Carreras pode esfriar a cabeça por lá, onde escolheu ver a neve. Ou, mesmo após a conversa com o governador, sua insatisfação pode significar só a ponta do iceberg para o PSB, rumo à corrida majoritária do ano que vem.


Por Renata Bezerra em Folha Politca/FolhaPE

0 visualização