IMG-20191213-WA0051.jpg
IMG-20191110-WA0069_edited.jpg
Capture+_2020-02-03-18-40-35.png
  • Facebook
  • Instagram
  • Mikael Sampaio

Em convenção, PSDB reúne forças políticas em torno de um novo projeto para Pernambuco



O PSDB de Pernambuco realizou convenção neste domingo (5) e elegeu como presidente do partido para o biênio 2018/2019 o ministro das Cidades, deputado federal licenciado Bruno Araújo que sucede o deputado estadual Antônio Moraes, agora na primeira secretaria da legenda. O encontro foi marcado por discursos em favor da unidade das forças de oposição em busca de uma alternativa para o Estado nas eleições do próximo ano.

Presentes ao encontro, representantes do PMDB (senador Fernando Bezerra Coelho), Democratas (deputada estadual Priscila Krause), PPS (ministro Raul Jungmann), PTB (deputado federal Jorge Corte Real), e Podemos (o advogado João Campos) reconheceram que o PSDB terá um papel central na construção não somente da unidade, como de um projeto diferente do atual modelo de gestão do qual todos atestaram como “falido”.

No entendimento das oposições, o momento não é de priorizar a ocupação de cargos em eventuais chapas, mas de avançar no diálogo em torno de convergências que, segundo o presidente do PSDB-PE, Bruno Araújo, tornarão possíveis um novo projeto para o Estado. “Vamos pensar e construir juntos com o PMDB, com o Democratas, com o PTB, com o Podemos, com o PPS e com tantos outros partidos, vamos avançar no diálogo em torno de qual é o Pernambuco que devolverá a autoestima aos pernambucanos.”

Além da eleição da nova executiva estadual e dos comandos de segmentos como o Mulher, Juventude e Tucanafro, o PSDB-PE reconheceu o papel importante do ex-prefeito de Jaboatão dos Guararapes Elias Gomes que teve seu nome pré-lançado ao governo. “Elias tem uma importante missão nesse projeto de unidade. Ao levar seu nome para todo o estado, estará levando o nome do partido, levando uma proposta que todos nós acreditamos”, ressaltou o ministro das Cidades.

A nova executiva do PSDB-PE é formada pelos seguintes integrantes: Bruno Araújo na presidência; 1º vice, o ex-governador João Lyra; 2º vice, Guilherme Coelho; 3º vice, André Régis; Secretário-geral, Betinho Gomes; 1º secretário, Antônio Moraes; Tesoureiro, b; 1ª vogal, Terezinha Nunes; 2ª vogal, prefeito João Tenório; 3ª vogal, Alessandra Vieira; 4ª vogal, Izabel Urquiza.

Abaixo, alguns trechos dos discursos:

Segundo o Ministro Bruno Araújo – “Estamos aqui para construir a unidade que seja a convergência das coisas que são possíveis e para buscar o que é importante para Pernambuco. Amanhã (nesta segunda) o estado ouvirá do ministério das Cidades o anúncio de 10 mil de empregos com milhões de investimentos. Temos e vamos mostrar o que foi feito no país com uma boa governança e com resultados efetivos. Mas não adianta Pernambuco ter apenas bons ministros, para os pernambucanos vale é o comandante de Pernambuco ter autoridade nacional e é isso que vamos buscar com a construção dessa unidade entre todos esses partidos”.


Para o Senador Fernando Bezerra Coelho (PMDB) – “O Estado precisa de outro ritmo, Pernambuco precisa acelerar seus projetos. Enquanto a Bahia está criando emprego, o Ceará deve gerar as demissões até o final do ano, Pernambuco vai terminar o ano ainda demitindo gente. Falta projeto, falta ousadia, falta coragem para assumir posições que possam dar a Pernambuco o protagonismo político que ele merece. Por isso fiz questão de estar aqui na convenção do PSDB, a convite do ministro Bruno Araújo, para dizer da importância política dos tucanos no Estado. O ministro Bruno tem um papel central e importante, vamos juntar, é hora de unir, de construir propostas sem ódio, para estarmos à altura do desafio que Pernambuco nos impõe. Vamos unir os melhores para que a gente possa animar toda a sociedade pernambucana.”

Ministro da Defesa, Raul Jungmann (PPS) – “Em 2018 vamos ter uma batalha da política contra a antipolítica. Se os candidatos da antipolítica vieram a vencer, estaremos num impasse muito grave. Esse é um desafio que nos leva a uma palavra chave, tantas vezes admitida aqui, unidade. Por isso, precisamos de líderes como Bruno e tantos outros aqui presentes para caminharmos nessa direção. É fundamental que a gente vença essa batalha por tudo que acumulamos ao longo desses anos. A antipolítica não pode vencer. Política é transformação, é pensar um mundo melhor, e sobretudo política é unir pessoas em torno de um projeto comum. Esse é encontro voltado sobretudo para o futuro.”


0 visualização