banner technobytes.jpeg
OTa2.jpg
LOGO MEGA.jpg
Banner Aveloz
IMG-20220720-WA0032.jpg
  • Mikael Sampaio

Denunciados pelo MPF por tentativa de homicídio de agente da PF são condenados em Tribunal do Júri


Na noite da última quarta-feira (19), finalizando o segundo e último dia de júri, a Justiça Federal, em atendimento a denúncia oferecida pelo Ministério Público Federal (MPF) em Pernambuco, proferiu a sentença dos réus Gebson da Costa Lima, Alan Jones Pedrosa da Silva, Marcelo Silva Chaves Júnior e Alexandre Lourenço da Silva. Eles foram julgados pelos crimes de tentativa de homicídio de um agente da Polícia Federal em 2017, além de integração em organização criminosa que atua com arma de fogo. O réu Gebson da Costa também foi julgado por adulterar placa de veículo.


A sentença foi divulgada após os 25 jurados assistirem às apresentações da acusação, realizada pelos membros do MPF, e da defesa dos réus, realizada pela Defensoria Pública da União (DPU) e por advogado particular de Alan Jones Pedrosa.


A sentença proferida foi de prisão em regime fechado para todos, sendo de 19 anos e 2 meses, mais aplicação de multa para Gebson Costa Lima; 15 anos e 6 meses mais aplicação de multa para Alan Jones Pedrosa da Silva; 12 anos e 6 meses mais multa para Marcelo Silva Chaves Júnior; e de 13 anos e 6 meses mais multa para Alexandre Lourenço da Silva. A aplicação de multa para Gebson Costa Lima foi de 240 dias no valor de 1/3 do salário-mínimo atual, e, para os demais, 120 dias no mesmo valor.


Os réus já cumpriam prisão preventiva desde de 2019 e não estiveram presentes no segundo dia de julgamento, uma vez que já haviam sido interrogados no dia anterior e pediram a dispensa do comparecimento no segundo dia de julgamento.


Histórico – Em 2017, os denunciados atentaram contra a vida do policial federal, em uma tentativa de assalto na Av. Belmiro Correia, em Camaragibe (PE), onde estão localizadas agências dos bancos Itaú, Banco do Brasil, Caixa, Santander, Bradesco e Banco do Nordeste. Conforme consta no processo, a ação foi impedida graças a operação conjunta da Polícia Federal e da Polícia Civil. No decorrer da perseguição, o agente da PF tentou impedir a fuga dos acusados e por isso foi alvo de tiros.


(Com informações da Justiça Federal)

0 comentário