banner technobytes.jpeg
OTa2.jpg
LOGO MEGA.jpg
Banner Aveloz
  • Mikael Sampaio

Buracos na PE 550, em Santa Maria da Boa Vista, têm gerado problemas a população


Buracos na PE 550, em Santa Maria da Boa vista — Foto: Reprodução / TV Grande Rio

Trafegar pela estrada PE 550, tem gerado muitos transtornos em Santa Maria da Boa Vista, no Sertão do Pernambuco. Os buracos, a falta de acostamento e sinalização são alguns dos problemas da rodovia que foi construída há 17 anos e nunca passou por reformas.


São 43 quilômetros da estrada em péssimas condições que liga o povoado de Urimã ao Projeto Fulgêncio, área de produção de frutas da cidade. Há 10 anos a comunidade tem sofrido com os problemas. “Quebra moto, quebra carro e o pessoal não tem vindo pegar mercadoria da gente por conta das estradas, tem que baratear o produto” afirmou o presidente da Associação de Agricultores de Santa Rosa, Fábio Rodrigues de Araújo.

Moradores reclamam de buracos na PE 550, em Santa Maria da Boa Vista — Foto: Reprodução / TV Grande Rio

Os buracos ainda facilitam a ação de criminosos, os agricultores relatam que os bandidos ficam na beira da estrada de forma discreta, abordam e levam seus pertences.


A educação de crianças e jovens da região também tem sido afetadas pelas condições da estrada. Cerca de 130 alunos precisam passar pelo projeto diariamente. De acordo com a professora Lucilene de Araújo, os transportes escolares quebram e provoca a ausência de turmas inteiras, atrasando o cronograma de aulas previsto. “Nós preparamos umas aulas para atender uma demanda, e os alunos não vem, devido a estrada que não dá acesso suficiente, os transportes quebram, aulas atrasadas, e dá um transtorno horrível", relatou Lucilene.

A população pede que o governo do estado faça urgentemente uma reforma na estrada.

Em nota, o Departamento de Estradas de Rodagem (DER) em Pernambuco informou que concluiu o plano de conservação da malha viária estadual e que já está em andamento a licitação para execução dos serviços de manutenção na via. A previsão é que esse processo seja finalizado em até três meses. Ainda segundo o DER, os serviços emergenciais serão inseridos e realizados conforme o cronograma do órgão. (G1 Petrolina)


0 comentário