Capture+_2020-02-03-18-40-35.png
banner.jpg
IMG-20191110-WA0069_edited.jpg
  • Facebook
  • Instagram
  • Mikael Sampaio

Brasil está preparado para crescer de forma sustentável, diz Meirelles


Durante o Fórum de Investimentos Brasil (FIB), ministro da Fazenda assegurou que as reformas econômicas prepararam o Brasil para um ciclo de crescimento sustentável


Depois de passar por dois anos de recessão, o Brasil voltou a crescer e a economia está preparada para avançar de forma sustentável diante das reformas econômicas. A avaliação do ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, foi colocada a uma platéia de investidores e líderes empresariais de diferentes nacionalidades, em São Paulo.

Durante o discurso na manhã desta terça-feira (30), Meirelles destacou que a agenda econômica posta em prática no último ano pelo governo permitiu que a economia brasileira continuasse funcionando mesmo enquanto enfrentou a pior crise econômica da história. Para ele, o País entrou em um ciclo de reforço e estabilidade da economia.

“Que diferença um ano faz. Um ano atrás vivíamos a maior recessão da história. Uma recessão mais longa e produnda que a depressão de 1930. E o Brasil já cresceu no primeiro trimestre deste ano”, declarou o ministro, em referência aos dados do Banco Central que apontam para a retomada da economia nos três primeiros meses do ano.

Meirelles citou medidas tomadas como governo, como a criação de um teto para o crescimento das despesas públicas e a estabilização da economia, e afirmou que elas garantiram a sustentabilidade do crescimento da economia.

Nesse contexto, o ministro citou a reforma da Previdência Social, que aguarda análise da Câmara dos Deputados, como mais uma forma de combater o crescimento “insustentável” dos gastos públicos. Segundo ele, caso a reforma não seja feita, haverá menos espaço para investimentos e o Orçamento Federal será direcionado apenas para o pagamento de aposentadorias.

Dona de um déficit de R$ 149,7 bilhões no ano passado, a reforma da Previdência prevê a adoção de uma idade mínima de 65 anos para homens e de 62 anos para mulheres acessarem ao benefício e, assim, evitar que essas despesas resultem em um colapso da economia brasileira.

Diante dos exemplos de estabilização e dos sinais de crescimento da economia, Meirelles resumiu: “o momento do Brasil é agora”.


0 visualização