Capture+_2020-02-03-18-40-35.png
IMG-20191110-WA0069_edited.jpg
Camarao e cia.jpg
  • Facebook
  • Instagram
  • Mikael Sampaio

Bolsonaro evitará apoiar nomes de outros partidos em disputas estaduais



O pré-candidato à Presidência Jair Bolsonaro (PSL) diz que não pretende apoiar no 1º turno candidatos de outras siglas na disputa aos governos estaduais.

O militar diz que o foco será sua própria campanha e cita São Paulo como 1 dos Estados em que deve se manter neutro.

“Me perguntaram sobre São Paulo. Não devemos ter. Dos que já estão postos, disse que sou simpático a [Paulo] Skaf [MDB] e já deu confusão. Vou parar de falar até isso. Vou falar que não temos candidatos e decidiremos mais tarde”, afirmou ao Poder360.

O deputado afirma, no entanto, que poderá rever sua posição num eventual 2º turno.

“Caso aconteça 1 milagre e não tenha 2º turno, apoio alguns caras. Mas não estou preocupado com governador. Já é 1 tumulto. Vou ficar me preocupando com 27 Estados?”

Bolsonaro é de uma sigla pequena, o PSL, e deverá encontrar dificuldades para montar seus palanques estaduais. Segundo ele, a legenda deverá ter apenas “uns 5 candidatos” próprios. Não sabe dizer quais. Dos que cita, estão Estados pequenos como Acre (0,3% do eleitorado nacional) e Roraima (0,2%).

Em São Paulo, o presidente estadual da sigla, Major Olímpio, tenta emplacar 1 candidato, mas ainda não há uma definição se isso se concretiza e quem seria.

Com poucos nomes do PSL e sem apoio a nomes de outros partidos, o pré-candidato minimiza a importância de ter candidatos que promovam seu nome nos Estados. Ele afirma que apostará nas redes sociais para superar possíveis desvantagens em relação a adversários.

Concorrentes como Geraldo Alckmin (PSDB) e o candidato do PT terão representantes na disputa de Estados com alto número de eleitores como São Paulo e Minas Gerais.


LOGO MEGA.jpg