banner technobytes.jpeg
OTa2.jpg
LOGO MEGA.jpg
Banner Aveloz
IMG-20220720-WA0032.jpg
  • Mikael Sampaio

Adolescente de 13 anos morre à espera de leito de UTI em Petrolina


Maria Eduarda Delmondes morreu à espera de um leito de UTI em Petrolina — Foto: Reprodução/ TV Grande Rio

O corpo de Maria Eduarda Delmondes de 13 anos foi enterrado no domingo (7), na cidade de Betânia, no Piauí. A menina estava internada no Hospital Dom Malan em Petrolina e aguardava na fila de espera por um leito de Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Sem o surgimento da vaga, ela morreu no último sábado (5).


Maria Eduarda deu entrada no dia 6 de julho no Hospital Dom Malan. Na unidade, a adolescente passou por três cirurgias e acabou adquirindo uma infecção. Na última quarta-feira (3), a situação se agravou e ela entrou na lista de espera por um leito de UTI na rede peba, mas a vaga não chegou a tempo.


"A partir de segunda, em que ela foi para sala vermelha, era grave sim. Ele estavam medicando, era muito medicamento, medicamento que só era permitido na UTI. Eles viram que o estado dela era grave, desde a terceira cirurgia e só viram entrar com o pedido para UTI na quarta-feira", ressaltou a mãe, Maria Dulce Demoldes.


Maria Dulce disse que chegou a procurar o Ministério Público e a Defensoria Pública para conseguir a vaga na UTI. Uma das alternativas para salvar a filha seria transferí-la para a rede privada, onde a diária na UTI custa em média R$ 2.500. Mas, a mãe não tinha recursos para pagar as despesas médicas.


Hospital Dom Malan em Petrolina — Foto: Reprodução/ TV Grande Rio

Em nota, o Hospital Dom Malan (HDM) esclareceu que a paciente Maria Eduarda Delmondes deu entrada na unidade no dia 6 de julho, transferida do Hospital São Lucas, localizado no município de Juazeiro, na Bahia. Ela apresentava diversas graves comorbidades, como obesidade, hipotireoidismo, anemia, cisto ovariano e ausência do rim direito. Desde o final de 2020, se queixava de fortes dores abdominais crônicas, com relatos de febre e vômitos diários nos últimos três meses.


De acordo com o HDM, a paciente passou por três procedimentos cirúrgicos, além de exames de imagens como ultrassons e tomografias de tórax e crânio. Também foi acompanhada por médicos especialistas nas áreas de endocrinologia, cirurgia pediátrica, cardiologia, além de intensivistas pediátricos. Mesmo com toda essa assistência, a paciente apresentou uma piora no quadro clínico, sendo inserida no sistema de regulação da Central Interestadual de Regulação de Leitos (CRIL).


O hospital esclareceu ainda que a Maria Eduarda estava recebendo suporte na sala vermelha, setor especializado da emergência, similar a uma unidade intensiva, com aparelhos de ponta e suporte médico 24 horas por dia. Infelizmente, apesar de todo o esforço da equipe, diante da gravidade de seu quadro, a adolescente veio a óbito no dia 06 de agosto.


Já a Secretaria de Saúde de Pernambuco que é responsável pela Central de Regulação de Leitos informou que a adolescente recebeu atendimento necessário enquanto aguardava o leito de UTI e que não mediu esforços nessa procura. A nota reforçou que o HDM possui 10 leitos de UTI, sendo 6 neotanais e 4 pediátricos para atender uma população de 53 municípios da Rede PEBA. (Por G1)

0 comentário