banner technobytes.jpeg
OTa2.jpg
LOGO MEGA.jpg
Banner Aveloz
  • Mikael Sampaio

53% dos brasileiros não declaram simpatia por nenhum partido politico



Pesquisa realizada pelo Ibope e encomendada pela Confederação Nacional da Indústria indica que 53% dos brasileiros não demonstram ter simpatia por nenhum partido político.

A divisão é assim: 48% dizem objetivamente que não simpatizam por partidos políticos. Outros 5% simplesmente não respondem ou dizem não saber como reagir quando indagados sobre preferência político-partidária.

O levantamento foi realizado pelo Ibope de 7 a 10 de dezembro de 2017, mas divulgado apenas nesta 3ª feira (13.mar.2018) pela CNI. A pesquisa falou com 2.000 pessoas em 127 cidades. A margem de erro é de 2 pontos percentuais.

Quando os entrevistados optam por algum partido político, o PT é o que tem mais simpatizantes: 19%. Depois vêm o MDB (7%), PSDB (6%) e PSOL (2%). A partir daí começa uma lista de siglas com apenas 1% da preferência cada uma.

Em todas as pesquisas recentes sobre a eleição presidencial, o ainda pré-candidato Luiz Inácio Lula da Silva (ele foi condenado na Lava Jato e deve ser impedido de disputar) aparece como líder. O partido de Lula tem ainda sólidos 19% das preferências dos brasileiros.

O MDB, que não tem candidato próprio para presidente desde 1994 (quando o nome da legenda foi Orestes Quércia, 1938-2010), tem a simpatia de 7% dos brasileiros, mas não há 1 nome que consiga galvanizar esse apoio. Michel Temer, atual presidente, quando testado nas pesquisas tem só perto de 1% das intenções de voto.

O PSDB, 3º partido na preferência dos brasileiros (empatado tecnicamente com o MDB), tem neste momento o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, como pré-candidato a presidente. Nas pesquisas, o tucano tem apresentado 1 desempenho semelhante ao de sua agremiação, na redondeza de 6%.

TEM DE ACREDITAR EM DEUS

O Ibope fez várias perguntas sobre como devem ser as características do próximo presidente da República. Para 67%, “é importante que o candidato acredite em Deus”. Outros 12% concordam em parte que essa crença do político seja relevante.

Tudo somado, são 79% os brasileiros que concordam totalmente ou em parte que o próximo presidente precisa ser alguém com fé em Deus.

Só 11% “discordam totalmente” e 7% “discordam em parte” da necessidade de o candidato a presidente ser uma pessoa com crença religiosa.

É no interior do país, em cidades com até 50 mil habitantes, que a maioria robusta dos brasileiros vê importância na fé: 84% acham que o próximo presidente deve acreditar em Deus.

EXPERIÊNCIA NA POLÍTICA

Há 1 dado na pesquisa Ibope que contraria uma espécie de sentimento geral a favor do “novo” neste atual ciclo eleitoral. Para 47% dos brasileiros é importante que o candidato a presidente já tenha alguma experiência como prefeito ou governador. Outros 25% acham, em parte, que é relevante essa atuação anterior na política.

Apenas 13% discordam totalmente que é necessário já ter ocupado cargos públicos no passado para agora ser candidato a presidente.

Por outro lado, 29% dos brasileiros dizem preferir escolher 1 novo presidente que “não seja político profissional”.

É interessante que a rejeição aos políticos seja maior entre os brasileiros com menor grau de instrução. Entre os que têm até a 4ª série do ensino fundamental há 55% que não querem 1 presidente “político profissional”.

Já entre os que têm nível superior, o percentual de rejeição aos políticos cai para 46%.


0 comentário