banner technobytes.jpeg
OTa2.jpg
LOGO MEGA.jpg
Banner Aveloz
  • Mikael Sampaio

2021Estado e Opas lançam Programa Útero é Vida


O governador Paulo Câmara lançou, nesta quarta-feira (15.12), um programa em parceria com a Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) que tem como objetivo prevenir e tratar o câncer do colo de útero. Segundo dados obtidos pela Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE), em 2022 são esperados 730 novos casos da doença em Pernambuco. Em razão disso, no próximo ano serão feitos rastreamentos e o acompanhamento de 80 mil mulheres moradoras do Recife e de oito cidades da Mata Sul – Cortês, Amaraji, Lagoa dos Gatos, Ribeirão, Primavera, Tamandaré, São Benedito do Sul e Barreiros. O investimento na iniciativa é da ordem de R$ 6 milhões.

“O Programa Útero é Vida vai ao encontro do que nós precisamos neste momento, que é a melhoria da saúde pública da nossa população. E nós preparamos a nossa rede, compramos equipamentos, temos uma consultoria técnica junto com a OPAS, qualificamos as nossas equipes e agora temos condições de ir a campo junto com os municípios para fazer todo um diagnóstico, os exames, e encontrar as mulheres que precisam da prevenção”, destacou Paulo Câmara.

O secretário estadual de Saúde, André Longo, destacou que, caso descoberto em estágio inicial, esse tipo de câncer é totalmente curável. “Em Pernambuco, temos indicadores e números insatisfatórios, com uma pernambucana morta a cada dia. Existe uma grande necessidade do exame de rastreamento”, disse.

Com os resultados iniciais obtidos após o rastreamento e acompanhamento no próximo ano, a SES-PE vai expandir o programa para todas as regiões do Estado. O aperfeiçoamento da linha de cuidado passa pelo rastreio e detecção da lesão no colo do útero até a assistência na atenção especializada para o tratamento dessa ferida pré-cancerígena, que pode se transformar num tumor grave. Além disso, o programa prevê chegar ao patamar preconizado pela OMS para 2030, de 90% das adolescentes pernambucanas vacinadas contra a doença (HPV), 70% de mulheres rastreadas – na faixa etária de 35 a 45 anos – e, para completar, 90% das mulheres tratadas.

TESTAGEM – Durante o evento de hoje, também foi assinada uma Carta Acordo entre o Instituto de Pesquisas de Biologia Molecular do Paraná (IBMP), o Laboratório de Imunopatologia Keizo Asami (Lika), da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), e o Instituto de Medicina Tropical (IMT), da Universidade de São Paulo (USP), com o objetivo de desenvolver um novo teste de HPV por PCR de baixo custo. Durante a pandemia da Covid-19, o Estado adquiriu máquinas de RT-PCR que, com a redução dos indicadores, serão utilizadas para analisar, com alto rendimento, a coleta do material feita pelo profissional de saúde ou mesmo por meio da autocoleta, a partir de 2022, ajudando no diagnóstico do câncer do colo de útero.

A cerimônia também contou com as presenças da secretária de Saúde do Recife, Luciana Albuquerque; do vice-diretor da OPAS, Jarbas Barbosa; da representante da OPAS/OMS no Brasil, Socorro Gross; da servidora da Secretaria Estadual de Saúde e consultora local SES/OPAS, Letícia Katz; do diretor do Instituto Ageu Magalhães/Fiocruz Pernambuco, Pedro Miguel; da presidente da Sociedade Brasileira de Oncologia Clínica, Jurema Teles.

Também presentes o gerente de desenvolvimento de negócios do IBMP, Lucas Rosseti; o diretor do Lika/UFPE, José Luiz de Lima; a superintendente de Atenção à Saúde do Imip, Adriana Scavuzzi; a pesquisadora do Lika Danielle Valeska; o representante da Fiocruz Ceará, Odorico Monteiro; o presidente do Conselho de Secretários Municipais de Saúde de Pernambuco (Consems-PE), José Edson de Souza; o deputado federal Gonzaga Patriota; o deputado estadual João Paulo; e as prefeitas Fátima Borba (Cortês) e Aline Gouveia (Amaraji).

0 comentário